Hora de Sophia de Mello Breyner Andresen


Sinto que hoje novamente embarco
Para as grandes aventuras,
Passam no ar palavras obscuras
E o meu desejo canta --- por isso marco
Nos meus sentidos a imagem desta hora.

Sonoro e profundo
Aquele mundo
Que eu sonhara e perdera
Espera
O peso dos meus gestos.

E dormem mil gestos nos meus dedos.
Desligadas dos círculos funestos
Das mentiras alheias,
Finalmente solitárias,
As minhas mãos estão cheias
De expectativa e de segredos
Como os negros arvoredos
Que baloiçam na noite murmurando.

Ao longe por mim oiço chamando
A voz das coisas que eu sei amar.

E de novo caminho para o mar.
                                               Sophia de Mello Breyner Andresen

Privilégio


Riqueza e honra estão comigo,
assim como bens duráveis,
fruto do meu ouro recebido,
neste lugar de solos inacreditáveis!

Sou da terra da esperança,
da refinada riqueza de valor,
sou do azul de seus mares,
da ternura real do nosso amor!

Os amigos da minha âncora,
maior tesouro da minha beleza,
contam o que o dinheiro não compra,
que bela e incomparável riqueza!

Privilégio não é exclusividade minha,
riqueza que qualquer um pode obter.
Melhor forma de viver neste planeta,
Acreditar que é possível, unicamente querer!