Lágrimas


“Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida ... “
         

  Florbela Espanca,
           "Livro de Mágoas"




Como rios descontrolados,
navegam pelas faces.
Transborda a dor infinita,
que queima e mortifica.

Olhos encharcados em fogo,
como lava descendo os vales
percorrendo cada poro,
afogando meus males.

Significado verdadeiro,
em cada uma que cai.
Quero ir contigo
vai lágrima vai…

Teu rio percorres,
até à foz do sentimento.
Ó lágrima salgada,
leva também meu pensamento.

Dor que vai amainando.
Quando no mar desaguas,
contigo arrastando e levando
Tristezas minhas e mágoas tuas.                                               
Enviar um comentário