EU



Porque sou tão forte que posso arcar fraquezas,
Sou brilho e ausência de clareza,
Sou menina e maturidade de mulher,
Posso ser alicerce e sei como abalar,
Sou a demência lúcida transpirando inconsequência,
Sou margarida com espinho no caule,
Sou alma e sou corpo,
Sou a úlcera e o medicamento,
Sou a inibição sociável e o silencio contínuo,
Sou a opção mais lógica e a menos racional,
A dificuldade e a perfeição,
Contradição de todas as certezas,
Sou amor, cor, anseio, pele, vida,
Adoro as diferenças e abomino o que elas trazem,
Adoro o mistério, mais quando alguém o decifra,
Adoro o colorido, o preto e branco e o púrpura,
Sou a felicidade triste e a tristeza contente,
Sou vida incutida, perdão e sua condenação,
Sou a lealdade nascida na dúvida do pérfido,
Sou a inconstância persistente,
personalidade completamente instigadora,
sou as diversas maneiras possíveis de se ser,
Sou assim na multiplicidade das minhas simples palavras.
Enviar um comentário